Ação demoliu 50 casas e 6 barracos no bairro Nova Cidade

 

 

 

A Polícia Militar, sob o comando do Major Leite da 77ª – Companhia Independente da Polícia Militar, cumprindo determinação da Justiça promoveu de maneira eficiente a desocupação de grande área invadida no bairro Nova Cidade. A área de preservação ambiental integra a Serra do Periperi.

Coube ao secretário José Antonio (Infraestrutura) – a estratégia de demolição com imediata coleta de todo material empregado nas construções de casas e barracos. Vários homens e máquinas foram utilizados na mega operação.

Restauração

A Secretaria do Meio Ambiente preparou uma ação de restauração da vegetação que foi destruída pelos invasores. A secretária da pasta, Luzia Vieira, contará com a participação de estudantes da rede municipal para o plantio de várias espécies de árvores na Serra do Periperi. A ação deverá acontecer no dia 12 de dezembro.

Ação Social

Antes da desocupação, a Secretaria de Desenvolvimento Social promoveu levantamento, e não encontrou ninguém no perfil para receber o aluguel social. A maioria do invasores já tinha vendido os terrenos ocupados segundo levantamento da Prefeitura.

As famílias de baixa renda estão sendo acompanhadas por uma equipe da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social. “A nossa responsabilidade é garantir proteção social a essas pessoas. Desde o primeiro instante, a Secretaria tomou todas as providências, de modo a analisar o perfil das famílias, fazer o encaminhamento para o setor de habitação e de resguardar os direitos delas”, explicou o diretor de Assistência Social, Michael Farias.

Os invasores roram alertados também que a Coelba e Embasa não prestariam o fornecimento de energia e água respectivamente por determinação da Justiça. Investir em área de preservação ambiental é correr um risco desnecessário.

A Prefeitura justifica que a sua missão é legal e balizada nos amparos da lei, e que fará todos os esforços para  manter o pouco que restou da vegetação da Serra do Periperi. E após esta intervenção haverá permanente vigilância para evitar ocupações irregulares na Serra do Periperi.

Deixe uma resposta