12 de agosto de 2022

(77) 98833-0195

Artigo: Por uma Universidade Federal, com autonomia administrativa e independente em Vitória da Conquista.

 Por Zé Maria Caires

É preciso considerar o Instituto Multidisciplinar em Saúde (IMS) – Campus Anísio Teixeira, em Vitória da Conquista, ainda que dependente da Universidade Federal da Bahia, uma organização que sempre teve e continua tendo potencial para ter vida própria e conquistar sua independência da UFBA de Salvador para a nossa gestão.

Não demorou muito para que a sociedade percebesse e buscasse formas de conquistar a sua emancipação. Eu acompanho e vejo que nossos representantes políticos se movimentaram nessa direção, foram desenvolvidas ações concretas na gestão do então diretor DOUTOR ORLANDO CAIRES,
que chegamos por alguns momentos vislumbrar o desmembramento, mas derrepente veio a desilusão.

É claro que a burocracia em um processo como esse é natural, mas tínhamos todos os recursos ao nosso favor, a reitoria da Universidade Federal da Bahia e deputados e prefeitos alinhados para o mesmo objetivo. O que faltou foi força para superar.

Em outras situações, como em Pernambuco, por exemplo, o então ministro Mendonça Filho, se inspirou no nosso modelo de desmembramento e criou em Garanhuns, a Universidade do Agreste Pernambucano, porém, não precisamos ir muito longe, aqui mesmo na Bahia foram criadas:

Em Barreiras – Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB);

Em Cruz das Almas – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB);

Em Teixeira de Freitas – Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB);

Em Senhor do Bonfim – Universidade Federal do Vale do São Francisco (UINVASF);

Quais as vantagens do desmembramento do Instituto Multidisciplinar de Saúde de Vitória da Conquista e da sua emancipação da UFBA?

Autonomia administrativa, criação de novos campus em Brumado, Jequié, Guanambi dentre outros Municípios, como exemplo da importância citarei a UFRB sediada em Cruz das Almas que criou os campis em Feira de Santana, Amargosa, Cachoeira, Santo Amaro e Santo Antônio de Jesus.
O mais importante de todos serão as pesquisas, a criação de novos cursos, oportunizando as vocações regional e dando condicoes aos jovens, sobretudo os de famílias que não podem pagar as faculdades particulares.

O SUDOESTE PODE VOAR MAIS ALTO.

José Maria Caires